radical livre

uma imensa árvore sobre o mar

segura o balanço de meu vai e vem

enquanto eu sinto o vento o tempo

e algumas outras coisas

que não sei nomear

.

quero ficar longe e perto

de todos

de tudo

ter a linha do horizonte

sempre

ao meu alcance

.

pois paredes me cansam

as pernas

a mente

mentindo o tempo todo

sobre si mesmas

.

acho que vou mesmo partir

mergulhar no lilás do arrebol

enquanto cicatrizes se constituem

e o coração

pare de se ferir

entonação

eu sei,

devia encontrar o tom

um jeito, uma forma

mas não sei se o quero

a falta de tom me dá algo

as avessas

eu quero é a liberdade de escrever

pensamentos soltos

sem amarras

sem estilo definido…

eu não tenho estilo definido

e como poderia?

se em intervalos que não controlo

incorporo várias cabeças

mãos, braços, vidas, dores?

então

prefiro ficar assim mesmo

sem métrica

sem técnica

apenas botando pra fora

algo que dentro, incomoda.