encantação

há palavras escondidas

nas curvas das orelhas

nas dobras das paredes

de pés no chão

esfregando o peito

na fuligem dos dias

.

estou começando a entender

o argumento das manhãs

dando respeito a detalhes

um dia irrelevantes

tenho aprendido a olhar

lagartixas nos olhos

a ver esconderijos

onde só as rãs podem

.

de ontem pra hoje percebi

que em minha janela

habita um pé de estrelas

2 nós

você desligou sem o costumeiro eu te amo tentei te mostrar o caminho por onde tenho seguido para onde vou (?) meu bem mas você cortou o papo o fio o voo solo eu a gritar você não se olha nem vê que não estou pronta ainda só mais um minuto até eu completar minha maquiagem pois tenho medo de parecer dúbia como aquelas que se tornam dramas rainhas do tédio depois de certas roupagens

quero saber como não ir para a prisão pois acho que errei o jogo as regras que tenho não se aplicam melhor manter distância das outras peças não é isso que eu quero não tão pouco queres algo? talvez um beijo um tapa um papo que mostre o jogo o peito e diga se teremos um fim

o que vc acha?

da minha cara assim nua solta livre de ciladas eu verdade crua meu peito idealista projeto inacabado permite apenas uns poucos atos até vislumbrar a soltura a altura das janelas que se abrem em meu peito todas repletas de mar.

promenade

gosto de Ser

somente UM

pontinho

movimentando – me

ao longo da estrada

exercitando – me

praticando esquecimentos:

  • das condições [ humanas ]
  • dos rótulos [ o que há por dentro de tudo ]
  • do tempo [ partícula inatingível ]
  • de mim [ Ego SUPERLATIVO ]

ali na estrada

Somos Eu e o Sol

brilhando

cantando Alto

a conversar com deuses e abstrações

.

a partir disto entendi

que de nada me valem

os prazos

os termos de responsabilidade

a argumentação cuidadosamente construída

se a Vida for sem voos

.

a partir daí enxerguei

os presentes

que somente o agora me dá

que o corpo é saber sutil

as vezes uma conversa resolve

restaura corações

cura doenças

.

que a Morte

é o Nada

que se transforma em certeza

quando nos visita

que a Vida é mágica

indelével poesia

.

por isso me entrego

fecho os ouvidos

e dou as costas

pro mundo

 

presa

não terminou.

se o tivesse feito     talvez     a casa caísse

fosse

tudo pelos ares

sendo assim

arrumou um jeito de manter

os sapatos de bico fino

a garganta desinflamada

e as mágoas acumuladas anos a fio

.

continuou

fez as unhas    almoçou com a família

treinou as palavras   conteve os gestos

na terapia mentiu como nunca

manipulou toda emoção

e fez pose

para o instagram