meubem

porque há um porto qualquer nesses dias

um pier

um pavio

que me ascende

me incandesce

.

porque o que me causava medo

já virou mar

amor sem dor

e um halo furta cor

me faz transcender

como loba

de olhos abertos a sorrir a noite

.

porque confronto os meus desejos de fêmea

mulher que muito ama

menina e seus brinquedos

com as doses de céu que me preenchem

e chego em algo

que há no fundo

de seus olhos

presa

não terminou.

se o tivesse feito     talvez     a casa caísse

fosse

tudo pelos ares

sendo assim

arrumou um jeito de manter

os sapatos de bico fino

a garganta desinflamada

e as mágoas acumuladas anos a fio

.

continuou

fez as unhas    almoçou com a família

treinou as palavras   conteve os gestos

na terapia mentiu como nunca

manipulou toda emoção

e fez pose

para o instagram

 

 

 

cimo

como seda

tu

aceso

e o teu cheiro

adentrando narinas

e meu quase cume

.

suave   único

entre

entranhas

torpor de carne     vísceras

.

sendo amada

pertenço-te

ainda que a ermo

acocorada

uive solitariamente

pro nada

.

canto meu trino

sinto-te único

pousado entre meus dedos

.

e se tua matéria

em mim repousa

amo-te

esquisita

monstro

incompreensível

infinitamente eu.

namorada

estou aqui te adorando de longe

enredada em silêncios

dando-te chances

redenção

por tudo

que és

fostes

pelas bocas que beijastes

por cada uma de tuas singelas lembranças

.

estou aqui te adorando por dentro

me enredando em teus acordes

acordando em nós

pares de sorrisos estancados em fotografias

presos em cantares de amor

de predileção

.

eu  rosa

você

jardim de uma só flor