cimo

como seda

tu

aceso

e o teu cheiro

adentrando narinas

e meu quase cume

.

suave   único

entre

entranhas

torpor de carne     vísceras

.

sendo amada

pertenço-te

ainda que a ermo

acocorada

uive solitariamente

pro nada

.

canto meu trino

sinto-te único

pousado entre meus dedos

.

e se tua matéria

em mim repousa

amo-te

esquisita

monstro

incompreensível

infinitamente eu.